ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Brincas de Évora

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Villa Romana de Torre de Palma

Sé de Évora

Castelo de Santiago do Cacém

Villa Romana de Torre de Palma

Gruta do escoural

Castelo da Amieira do Tejo

cavalo pintado

Viola Campaniça

 

Miróbriga

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Villa Romana de S. Cucufate

Jangada de São Torpes

Castelo de Arraiolos

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Castelo de Belver

Évoramonte

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Bonecos de São Bento do Cortiço

Templo romano de Évora

Castelo da Amieira do Tejo

Villa Romana de S. Cucufate

Sé de Évora

Sé de Évora

Miróbriga

Castelo de Evoramonte

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castro da Cola (Ourique)

Castelo de Viana do Alentejo

Castelo de Viana do Alentejo

Destaques
Imprimir documento


Sob a terra e as águas . 20 anos de Arqueologia entre Guadiana e Sado
16-05-2016
Sob a terra e as águas . 20 anos de Arqueologia entre Guadiana e Sado

No próximo dia 18 de maio, pelas 18 horas, inaugura no Núcleo Museológico da Rua do Sembrano, em Beja, a exposição "Sob a terra e as águas. 20 anos de Arqueologia entre Guadiana e Sado".

Organizada conjuntamente pela Câmara Municipal de Beja, Direção Regional de Cultura do Alentejo e EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva, S.A., constitui uma mostra dos resultados das intervenções arqueológicas realizadas no âmbito do EFMA - Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva e pretende dar a conhecer ao grande público os resultados de duas décadas de arqueologia preventiva, responsáveis por uma verdadeira revolução empírica do conhecimento arqueológico no Alentejo, divulgando o volume de trabalho realizado e a importância dos resultados científicos obtidos.

Com uma duração prevista de um ano, responde ainda à pretensão da Câmara Municipal de Beja da divulgação neste concelho dos trabalhos arqueológicos de que foi de certa forma um epicentro nos últimos anos. Pretendendo criar uma relação de proximidade com os visitantes naturais desta região, os diversos sítios arqueológicos foram identificados não só pelo concelho, mas, também, pelo nome das freguesias onde se situam, com a correspondente referência à infraestrutura do EFMA cuja implementação motivou a realização dos trabalhos.
O espólio apresentado constitui uma seleção - necessariamente adaptada ao espaço expositivo disponível - dos muitos milhares de peças das mais diversas épocas recolhidos nas muitas centenas de intervenções arqueológicas realizadas na área de abrangência do EFMA.

Muitos desses trabalhos vieram revolucionar os paradigmas teóricos existentes até ao início dos mesmos, sobretudo no que concerne à Pré-História Recente e à Proto-História, com implicações não só para esta região, mas, também, a nível nacional e internacional.  

O espólio expositivo encontra-se disposto em 6 conjuntos organizados de forma cronológica, da Pré-História Antiga à Idade Moderna, depois de um painel genérico introdutório, e está associado a textos-síntese sobre o material exposto em cada vitrine.

 

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

"Guardar. Pousar. Assento. Estes são os nossos móveis" - Museu de Évora



EMAGENDA

<março de 2017>
domsegterquaquisexsáb
26
27
28
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se