ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Miróbriga

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Castelo de Viana do Alentejo

 

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Viola Campaniça

Villa Romana de S. Cucufate

Castelo de Santiago do Cacém

Villa Romana de Torre de Palma

Villa Romana de Torre de Palma

Castelo da Amieira do Tejo

Castro da Cola (Ourique)

Sé de Évora

Castelo da Amieira do Tejo

Sé de Évora

Brincas de Évora

Castelo de Viana do Alentejo

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo de Belver

Castelo de Evoramonte

cavalo pintado

Sé de Évora

Évoramonte

Jangada de São Torpes

Templo romano de Évora

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Villa Romana de S. Cucufate

Gruta do escoural

Castelo de Arraiolos

Miróbriga

Bonecos de São Bento do Cortiço

Destaques
Imprimir documento


Exposição "Guardou-os a Terra..." e conferência - Beja - 18 de maio
16-05-2017
Exposição "Guardou-os a Terra..." e conferência - Beja - 18 de maio

Dia 18 de maio, pelas 18 horas, no Núcleo Museológico da Rua do Sembrano, em Beja, será inaugurada a exposição Guardou-os a Terra..., integrada no Ciclo Expositivo Sob a Terra e as Águas - Porque há sempre novas histórias para contar..., numa organização conjunta da Câmara Municipal de Beja, EDIA e Direção Regional de Cultura do Alentejo.

Podendo ser visitada até meados de agosto, esta exposição, tal como as que se lhe seguirão, será complementada com um conjunto de conferências, ocorrendo a primeira no mesmo dia, 18 de maio, a seguir à inauguração da exposição.

A exposição "Sob a Terra e as Águas - 20 anos de Arqueologia entre o Guadiana e o Sado" trouxe ao conhecimento do grande público, através de uma mostra de alguns dos materiais mais significativos, os principais resultados dos trabalhos arqueológicos realizados no âmbito do EFMA - Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva.

De forma a complementar a informação apresentada, necessariamente resumida face ao elevado volume de espólio recuperado, surgiu o novo ciclo expositivo Porque Há Sempre Novas Histórias para Contar..., através do qual será apresentada uma série de pequenas mostras temporárias que pretendem dar a conhecer novos materiais, contar outras histórias e mostrar o extraordinário contributo - tanto do ponto de vista científico como patrimonial - que o trabalho associado ao projeto de Alqueva proporcionou.

Guardou-os a Terra...
, a primeira destas exposições, visa proporcionar ao público uma pequena viagem pela evolução humana desde a aurora da humanidade até aos homens anatomicamente modernos.

 

Conferência O Paleolítico Inferior na Ribeira da Cardeira (Beja) - 18 de maio

Através de novos achados de materiais líticos talhados atribuíveis ao homem do Paleolítico Inferior, realizados no âmbito das obras do Bloco de Rega Baleizão-Quintos do regolfo do Alqueva, procedeu-se nos últimos anos a uma reapreciação dos mais antigos vestígios da presença do homem na região de Beja, revendo anteriores achados e procurando determinar o contexto e significado de tais vestígios à luz do que hoje se conhece sobre esse longínquo passado do homem.

Por:

Doutor João Pedro Cunha Ribeiro

Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

UNIARQ - Centro de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Mestre Andreia Pinto

Mestre em Arqueologia pela Universidade de Rovira y Virgili (Tarragona)

Mestre Tiago do Pereiro

ERA Arqueologia

 

Próximas conferências:

 23-06-2017

18 horas - Núcleo Museológico da Rua do Sembrano

 
A passagem do Paleolítico Médio para o Superior e o contributo do Alqueva no quadro do Paleolítico Superior português

A transição do Paleolítico Médio para o Superior é um dos temas centrais de debate na comunidade arqueológica internacional. Os trabalhos decorrentes do projecto do regolfo do Alqueva permitiram, a par da descoberta das gravuras e sítios paleolíticos de Foz Côa, incluir o interior da Península Ibérica no quadro do Paleolítico Superior peninsular.

Por:

Henrique Matias

PhD Student
UNIARQ - Centro de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

 
28-07-2017

18 horas - Núcleo Museológico da Rua do Sembrano

 
O Mundo que nós perdemos: as últimas sociedades de caçadores-recolectores da Ibéria

Apesar da instabilidade ambiental que caracteriza a passagem para os tempos pós-glaciares, as comunidades humanas mantiveram o seu milenar modo de vida baseado na exploração e consumo de recursos silvestres, criando porém estratégias de sobrevivência inovadoras para responder aos desafios de um mundo em transformação. É esse mundo que já perdemos que é aqui recriado.

 
Por:

Ana Cristina Araújo

Laboratório de Arqueociências (LARC) da DGPC

Rede de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO)

Centro de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (UNIARQ).

 

 

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

"Cantão e a Rota Marítima da Seda" no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo



EMAGENDA

<novembro de 2017>
domsegterquaquisexsáb
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
1
2
3
4
5
6
7
8
9
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se