ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Évoramonte

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Miróbriga

Castelo de Arraiolos

Castelo de Santiago do Cacém

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Castelo de Evoramonte

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

cavalo pintado

Templo romano de Évora

Castro da Cola (Ourique)

Castelo de Viana do Alentejo

Villa Romana de S. Cucufate

Castelo de Viana do Alentejo

Castelo de Belver

Bonecos de São Bento do Cortiço

Sé de Évora

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo da Amieira do Tejo

Villa Romana de Torre de Palma

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Castelo da Amieira do Tejo

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Sé de Évora

Brincas de Évora

Villa Romana de Torre de Palma

Villa Romana de S. Cucufate

Viola Campaniça

Sé de Évora

Gruta do escoural

Miróbriga

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

 

Jangada de São Torpes

Destaques
Imprimir documento


A Malagueira de Álvaro Siza, 40 Anos Depois
18-05-2017
A Malagueira de Álvaro Siza, 40 Anos Depois

A Biblioteca da Universidade de Évora com o apoio da Escola de Artes e do Departamento de Arquitetura  da Universidade de Évora, organiza, com os alunos finalistas do curso de Mestrado Integrado em Arquitectura,  a exposição A Malagueira de Álvaro Siza, 40 anos depois: ambições de um conjunto ainda por alcançar. Esta iniciativa pretende celebrar o quadragésimo aniversário do Bairro da Malagueira de Álvaro Siza (1933 - ), do ponto de vista atual do bairro, bem como tendo como pressuposto mostrar à comunidade os equipamentos - ainda por construir -, e o seu papel fundamental no conjunto, através de fotografias, desenhos, esquissos e maquetes.

Trata-se de um bairro construído no período imediatamente após a revolução de 25 de Abril de 1974, numa fase em que a cidade de Évora tinha falta de habitações disponíveis. Este projeto surgiu na sequência das Operações SAAL (1974-1976), um programa de assistência à construção de habitação promovida por associações de moradores, lançado como experiência piloto por iniciativa legislativa do arquiteto Nuno Portas, então Secretário de Estado da Habitação e Urbanismo do II Governo Provisório.
Construído durante várias fases, o projeto engloba um conjunto de 1200 fogos, infra-estruturas e edifícios públicos, numa área de 27 hectares - sendo que um terço corresponde a uma enorme zona verde.

A malha urbana é organizada através de uma estrutura principal, o aqueduto - que acompanha a topografia. A partir deste elemento são desenhados os núcleos de habitações unifamiliares em banda, de dois pisos, que podem ter entre um a cinco quartos. Os edifícios públicos de suporte ao bairro, por sua vez, sobrepõem-se ao tecido residencial.

A exposição, com Curadoria de Fábio Antão e João Galhardo Santos, inaugura a 18 de maio e estará patente na Cisterna do Colégio Espírito Santo até 16 de junho de 2017.

Mais Informação

[ voltar ]

 

 

ADECORRER




EMAGENDA

<fevereiro de 2018>
domsegterquaquisexsáb
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se