ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Villa Romana de S. Cucufate

Castelo de Belver

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Viola Campaniça

Brincas de Évora

Miróbriga

Castelo de Santiago do Cacém

Gruta do escoural

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Bonecos de São Bento do Cortiço

 

Castelo de Evoramonte

Sé de Évora

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Templo romano de Évora

Castelo de Arraiolos

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Sé de Évora

Jangada de São Torpes

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Sé de Évora

Évoramonte

Miróbriga

Castelo de Viana do Alentejo

cavalo pintado

Villa Romana de Torre de Palma

Castelo de Viana do Alentejo

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Villa Romana de S. Cucufate

Castro da Cola (Ourique)

Castelo da Amieira do Tejo

Castelo da Amieira do Tejo

Villa Romana de Torre de Palma

Destaques
Imprimir documento


Bolsa Amélia Rey Colaço: Candidaturas abertas até 30 Março
Bolsa Amélia Rey Colaço: Candidaturas abertas até 30 Março

A bolsa foi anunciada no dia 2 de Março, dia em que a "diva" do teatro português do século XX faria 120 anos, destina-se a "contribuir para a inovação do tecido teatral em Portugal", disse Tiago Rodrigues, diretor do Teatro Nacional D. Maria II.

Criada em colaboração com o Centro Cultural Vila Flor, de Guimarães, e a associação cultural O Espaço do Tempo, de Montemor-o-Novo, a bolsa é direcionada para a produção de espetáculos e destina-se a companhias ou a criadores emergentes, acrescentou o diretor do D. Maria II.

As candidaturas para esta bolsa irão abrir na próxima semana e o vencedor terá direito a estrear, em maio de 2019, uma peça de teatro na sala Estúdio do Teatro D. Maria II, apresentando-a, depois, em Guimarães e em Montemor-o-Novo.

Ajudar os atores e as companhias emergentes, "iluminando-lhes caminho" e "auxiliando-os a produzir um espetáculo" são, segundo Tiago Rodrigues, objetivos da bolsa, porque "muitas vezes a opção de fazer teatro não tem um caminho fácil. "Por isso cabe-nos ajudá-los. E nenhum nome melhor para isso que o do ícone do teatro português, Amaélia Rey Colaço, que tanto ajudou novos atores e técnicos e pessoas ligadas ao teatro", sublinhou.

A companhia de teatro de Amélia Rey Colaço e do marido, Robles Monteiro, teve sede no Teatro Nacional D. Maria II, de 1920 até 1964, quando a sala de teatro foi destruída por um incêndio.

Regulamento
formulário de candidatura

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

João Cutileiro - A PEDRA NÃO ESPERA - Maquetas e escultura para o espaço urbano



EMAGENDA

<dezembro de 2018>
domsegterquaquisexsáb
25
26
27
28
29
30
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se