ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Castelo de Belver

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo de Santiago do Cacém

Villa Romana de Torre de Palma

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Castelo de Viana do Alentejo

Bonecos de São Bento do Cortiço

Castelo da Amieira do Tejo

Viola Campaniça

Villa Romana de Torre de Palma

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Castelo da Amieira do Tejo

Templo romano de Évora

Évoramonte

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Gruta do escoural

 

Villa Romana de S. Cucufate

Villa Romana de S. Cucufate

Sé de Évora

Miróbriga

Brincas de Évora

Jangada de São Torpes

Castelo de Viana do Alentejo

cavalo pintado

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Miróbriga

Sé de Évora

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Castro da Cola (Ourique)

Sé de Évora

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo de Evoramonte

Castelo de Arraiolos

Destaques
Imprimir documento


Campanha Nacional de Segurança Contra Incêndios em Edifícios
20-03-2018
Campanha Nacional de Segurança Contra Incêndios em Edifícios

O regime jurídico de segurança contra incêndio em edifícios (RJ-SCIE), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 220/2008, de 12 de novembro, com a redação introduzida pelo Decreto-Lei n.º 224/2015, de 9 de outubro, tem como princípios gerais a preservação da vida humana, do ambiente e do património cultural, visando reduzir a probabilidade de ocorrência de incêndios em edifícios ou limitar o seu desenvolvimento, bem como facilitar a evacuação dos seus ocupantes e permitir a intervenção mais eficaz dos meios de socorro.

O RJ-SCIE aplica-se a todos os edifícios e recintos, com algumas exceções identificadas no seu artigo 3.º, e consagra a elaboração e a implementação de medidas de autoproteção, bem como a realização de inspeções regulares, estas com uma periodicidade que varia de acordo com a categoria de risco dos edifícios, excluindo-se a maioria das utilizações da categoria de risco mais baixa.

A responsabilidade pela elaboração e implementação das medidas de autoproteção, as quais estão sujeitas a parecer prévio da ANPC - Autoridade Nacional de Proteção Civil bem como pelo pedido de realização de inspeções regulares à ANPC compete aos responsáveis das entidades que detêm a propriedade ou exploram os edifícios ou recintos, nos termos do artigo 6º do RJ-SCIE. Acresce que a emissão de parecer aos projetos de SCIE, bem como a realização de vistorias deixou de ser obrigatória, exceto se legislação específica o exigir.

A mudança de paradigma operada por este RJ-SCIE assentou, assim, na manutenção das condições de segurança contra incêndio ao longo da vida útil dos edifícios e recintos e na fiscalização de tais condições.

Atentos os princípios que norteiam esta matéria, promover o cumprimento do que a lei estipula, mais do que o simples facto de fazer cumprir a lei, é estar definitivamente empenhado na segurança de todos os cidadãos, que devem ser considerados o bem maior.

Neste pressuposto, a Estratégia Nacional para uma Proteção Civil Preventiva, aprovada pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 160/2017, de 30 de outubro, consagra esta matéria para todos os edifícios públicos, sob gestão da administração central e local, no Objetivo Operacional 4.2.66 - "Assegurar que todos os edifícios públicos sob gestão da administração central e local estão dotados de medidas de autoproteção, no âmbito do RJSCIE".

Com o objetivo de assegurar a verificação do cumprimento das condições de segurança contra incêndios em edifícios, a Resolução do Conselho de Ministros n.º 13/2018, de 20 de fevereiro, veio determinar a realização de uma campanha a nível nacional de divulgação e informação sobre o RJ-SCI, a promover pela ANPC.

Consulte aqui os respetivos documentos:

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS - Espetáculos e Reuniões Públicas - UT - VI - Utilização Tipo VI

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS - Museus e Galerias de Arte - UT - X - Utilização Tipo X

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

Visitas Guiadas ao Património no Alentejo



EMAGENDA

<junho de 2018>
domsegterquaquisexsáb
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
1
2
3
4
5
6
7
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se