ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Castelo de Santiago do Cacém

Villa Romana de S. Cucufate

Gruta do escoural

Castelo de Belver

Évoramonte

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo da Amieira do Tejo

Viola Campaniça

Templo romano de Évora

Miróbriga

Bonecos de São Bento do Cortiço

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Sé de Évora

Castelo de Evoramonte

Castro da Cola (Ourique)

Sé de Évora

Miróbriga

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

 

Villa Romana de S. Cucufate

Villa Romana de Torre de Palma

Brincas de Évora

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Sé de Évora

Jangada de São Torpes

Castelo de Viana do Alentejo

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Villa Romana de Torre de Palma

cavalo pintado

Castelo de Arraiolos

Castelo da Amieira do Tejo

Castelo de Viana do Alentejo

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Destaques
Imprimir documento


Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo dá a conhecer 'Coleção de Cerâmica'
22-08-2019
Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo dá a conhecer

Encontra-se aberta ao público, no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, a exposição 'Coleção de Cerâmica', que dá a conhecer peças de Faiança portuguesa e alguns azulejos da coleção que normalmente se encontra em reserva. A exposição ficará patente até ao final do corrente ano.


"Coleção de Cerâmica"
Com origem nos espaços conventuais, o Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo reúne um conjunto de faianças portuguesas, onde a influência oriental é claramente visível pela interpretação original de motivos decorativos inspirados na porcelana chinesa, existente também na coleção.
Reúne também um grupo de faianças de uso comum proveniente do legado de Antónia Pires de Lima da Fonseca.
Os azulejos, enquanto expressão artística nacional e identitária da cultura portuguesa no mundo, formam um importante núcleo da coleção de cerâmica do Museu.
Os painéis, de padrão ou figurativos, foram quase todos recolhidos no século XIX durante a demolição ou transformação dos espaços conventuais da cidade. Os azulejos terão sido recolhidos com o fim de documentar a variedade de padrões decorativos aplicados, retirando-se apenas alguns para amostras. A variedade deste conjunto permite não apenas conhecer a riqueza dos revestimentos azulejares que existiam, mas também traçar um percurso da evolução desta arte em Portugal, desde o século XVI (azulejos hispano-árabes) ao século XVIII. 
Na coleção destacam-se ainda painéis figurativos que estariam colocados em capelas ou nichos, como o painel de Santo António do Convento do Paraíso ou o painel da Anunciação, do Mosteiro de São Bento de Cástris, que se evidencia pela sua qualidade e importância. Produzido no século XVI, este painel demonstra o avanço técnico da oficina de Francisco Niculoso, em Sevilha, que dominava já a técnica da majólica que permitia pintar o azulejo com várias cores, sem risco de mistura durante a cozedura.


Mais informação
MUSEU NACIONAL FREI MANUEL DO CENÁCULO
T.: 266 730 480
e-mail: mevora@cultura-alentejo.pt
Facebook: www.facebook.com/museuevora

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

Visitas ao Património - Alentejo - 2019/2020



EMAGENDA

<janeiro de 2020>
domsegterquaquisexsáb
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se