ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Castro da Cola (Ourique)

Sé de Évora

Castelo de Santiago do Cacém

Castelo da Amieira do Tejo

Castelo de Belver

Miróbriga

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Castelo de Arraiolos

Castelo de Viana do Alentejo

Sé de Évora

Villa Romana de Torre de Palma

 

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Villa Romana de Torre de Palma

Villa Romana de S. Cucufate

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Castelo da Amieira do Tejo

Évoramonte

Estamos ON | Site culturacovid19

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Sé de Évora

Brincas de Évora

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Villa Romana de S. Cucufate

Templo romano de Évora

Bonecos de São Bento do Cortiço

Viola Campaniça

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

cavalo pintado

Castelo de Evoramonte

Gruta do escoural

Miróbriga

Castelo de Viana do Alentejo

Jangada de São Torpes

Destaques
Imprimir documento


Apríngio de Beja - Guerreiro da Fé, de Pe. Paulo Reis Godinho
27/05/2021
Apríngio de Beja - Guerreiro da Fé, de Pe. Paulo Reis Godinho

Apríngio de Beja - Guerreiro da Fé é o título do livro da autoria do Pe. Paulo Reis Godinho, recntemente publicado por Lisbon International Press. A obra, que resultou da defesa da tese de doutoramento do autor, é a parte I de uma trilogia (o segundo volume já está em curso) sobre a génese do cristianismo da Lusitânia, mais concretamente a ação de Apríngio de Beja, o primeiro bispo conhecido da atual cidade baixo alentejana de Beja.

Apríngio de Beja - Guerreiro da Fé

Autor: Pe. Paulo Reis Godinho
Data de publicação: Maio de 2021
Número de páginas: 284
ISBN: 978-989-37-1007- 4
Coleção: LISBON PRESS
Idioma: PT


Sinopse

"A novidade do cristianismo não era a sua competência de suplantar o mundo da Antiguidade, mas a sua capacidade de transformar, remodelar e apropriar-se do mundo antigo para construir uma ordem social, com um conjunto inteiramente novo de crenças e estruturas".

"A cultura e a mentalidade deste período em que Portugal tem raízes, são caracterizadas por indicações claras de contradição e ecletismo. No entanto, face a uma cristandade normativa, sob o ponto de vista da vida quotidiana, a época, era marcada por superstições, ou por idolatrias e heresias, como o arianismo e o priscilianismo. Consequentemente, as preocupações dos primeiros bispos católicos flutuaram entre a persistência de paganismo e a fraca assimilação do cristianismo. É, pois, essencial entender e reconhecer a relevância da figura dos bispos durante os séculos VI e VII".


Pe. Paulo Reis Godinho

Presbítero da diocese de Beja, desde 2012, é atualmente é pároco de seis freguesias dos concelhos de Beja e de Cuba. Foi missionário itinerante e professor. Tem formação em Psicologia,Teologia e doutorou-se em História, com tese em História Medieval, área onde continua as suas investigações.

 

 

 

 

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

Rede de Museus de Évora - Noites de VerãoEstá aberta a 3ª edição do Prémio Literário Joaquim MestreApoio à Atividade Cultural e aos Agentes Culturais do Alentejo 2021Estamos ON | Site culturacovid19



EMAGENDA

<setembro de 2021>
domsegterquaquisexsáb
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
1
2
3
4
5
6
7
8
9
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se