ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Castelo de Viana do Alentejo

Estatuto dos Profissionais da Área da Cultura

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Villa Romana de Torre de Palma

Castelo da Amieira do Tejo

Sé de Évora

Profs_cultura_estatuto1_banner22

Gruta do escoural

Castelo da Amieira do Tejo

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo de Santiago do Cacém

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Villa Romana de Torre de Palma

Castro da Cola (Ourique)

Villa Romana de S. Cucufate

Templo romano de Évora

Castelo de Evoramonte

Bonecos de São Bento do Cortiço

Sé de Évora

Grupo Cubenses Amigos do Cante

cavalo pintado

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Castelo de Arraiolos

Sé de Évora

 

Miróbriga

Miróbriga

Évoramonte

Villa Romana de S. Cucufate

Estamos ON | Site culturacovid19

Jangada de São Torpes

Castelo de Belver

Castelo de Viana do Alentejo

cultura_estatuto_profissionais22

Brincas de Évora

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Viola Campaniça

Destaques
Imprimir documento


Conferência: Caminhantes da planície alentejana - Beja - 21 de janeiro
05/01/2022
Conferência: Caminhantes da planície alentejana - Beja - 21 de janeiro

Caminhantes da planície alentejana: perscrutando práticas funerárias, mobilidade e dieta nas populações humanas da região de Beja entre o Calcolítico e a Idade do Ferro, é o tema da conferência que terá como oradora a antropóloga Linda Melo, no próximo dia 21 de janeiro, às 21h15, na Casa do Governador (Castelo de Beja).

A palestra, inserida na iniciativa "Pelos tempos de Beja", pretende apresentar algumas das conclusões do projeto que a conferencista desenvolve visando o aprofundar do conhecimento sobre as populações humanas que morreram na região de Beja entre o Calcolítico e a Idade do Ferro, com o intuito de preencher uma lacuna existente no conhecimento e registo arqueológico nacional. Este estudo assenta numa abordagem metodológica interdisciplinar ao conjugar dados antropológicos, arqueológicos e de bioquímica. De uma forma objetiva, procura-se um conhecimento mais aprofundado destas comunidades humanas que viveram numa zona geográfica específica, o Baixo Alentejo, ao longo de um período aproximado de 2500 anos.

Linda Melo é licenciada em Antropologia e tem um Mestrado em Antropologia Médica. Atualmente é doutoranda em Antropologia Biológica no Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra.  É Bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT-SFRH / BD / 130165/2017) e está a desenvolver o seu trabalho de investigação no Centro de Antropologia e Investigação em Saúde (CIAS). A sua tese centra-se numa abordagem interdisciplinar sobre práticas funerárias, dados antropológicos, arqueológicos e bioquímicos de amostras ósseas humanas do Calcolítico, Idade do Bronze e Idade do Ferro de uma área geográfica específica, o Baixo Alentejo.

A autora tem cerca de 10 anos de experiência de campo, vários artigos publicados em revistas nacionais e internacionais, e participou em vários congressos igualmente a nível nacional e internacional.

A organização é da Câmara Municipal de Beja em colaboração com a Direção Regional de Cultura do Alentejo e a Associação de Defesa do Património de Beja.

Cartaz
 

Inscrições através do Posto de Turismo de Beja:

turismo@cm-beja.pt - 284 311 913

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

Estatuto dos Profissionais da Área da CulturaANTROPOCÉNICA - Propostas para apresentação de comunicaçõesJorge Colaço e a Azulejaria Figurativa do seu TempoApoio à Atividade Cultural e aos Agentes Culturais do Alentejo 2021Estamos ON | Site culturacovid19



EMAGENDA

<janeiro de 2022>
domsegterquaquisexsáb
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se