ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

cultura_estatuto_profissionais22

Villa Romana de Torre de Palma

Castelo da Amieira do Tejo

cavalo pintado

Gruta do escoural

Sé de Évora

Villa Romana de S. Cucufate

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Castelo de Belver

Villa Romana de Torre de Palma

Profs_cultura_estatuto1_banner22

Castelo de Viana do Alentejo

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Sé de Évora

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Estatuto dos Profissionais da Área da Cultura

Miróbriga

Sé de Évora

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Miróbriga

Castelo da Amieira do Tejo

Templo romano de Évora

Bonecos de São Bento do Cortiço

Castelo de Arraiolos

Castelo de Santiago do Cacém

Villa Romana de S. Cucufate

Castelo de Viana do Alentejo

Viola Campaniça

 

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Castelo de Evoramonte

Estamos ON | Site culturacovid19

Évoramonte

Jangada de São Torpes

Castro da Cola (Ourique)

Brincas de Évora

Destaques
Imprimir documento


Produções Memória estreia espetáculo "O Campo de Chão Bom"
13/01/2022
Produções Memória estreia espetáculo "O Campo de Chão Bom"

Produções Memória estreia o espetáculo "O Campo de Chão Bom", de Paula Torres de Carvalho, com direção artística de Pascoal Furtado, dia 12 de fevereiro, às 21h00, no Parque de Feiras e Exposições de Grândola.

Este espetáculo representa uma parte da história do chamado Campo do Tarrafal, em Cabo Verde, na segunda fase do seu funcionamento, quando foi reaberto em 1961, com o nome de "Campo de Trabalho de Chão Bom".

Vários géneros artísticos como a música, o teatro e a dança reunidos em palco expressam o sofrimento e a resistência dos presos africanos que se opuseram ao regime do Estado Novo e que foram deportados para o Tarrafal. A narrativa regista memórias da época anterior, entre 1936 e 1954, quando ali estiveram presos anti-fascistas portugueses.

Inspirado na obra "O Diabo foi meu padeiro" da autoria do ex-ministro da cultura de Cabo Verde, Mário Lúcio, que cresceu no Tarrafal, este espetáculo evoca, sobretudo, o dever da memória.

A iniciativa conta com o apoio da Direção Regional de Cultura do Alentejo e do Município de Grândola.

Reservas
T.: 269 448 030

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

Estatuto dos Profissionais da Área da CulturaANTROPOCÉNICA - Propostas para apresentação de comunicaçõesJorge Colaço e a Azulejaria Figurativa do seu TempoApoio à Atividade Cultural e aos Agentes Culturais do Alentejo 2021Estamos ON | Site culturacovid19



EMAGENDA

<janeiro de 2022>
domsegterquaquisexsáb
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se