ESTÁ AQUI: INÍCIO | A decorrer
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Castelo da Amieira do Tejo

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Estatuto dos Profissionais da Área da Cultura

Viola Campaniça

Villa Romana de Torre de Palma

Castelo de Evoramonte

Villa Romana de Torre de Palma

Castelo de Viana do Alentejo

cavalo pintado

Castro da Cola (Ourique)

Jangada de São Torpes

Gruta do escoural

Brincas de Évora

Castelo da Amieira do Tejo

Castelo de Arraiolos

Sé de Évora

Miróbriga

Villa Romana de S. Cucufate

Villa Romana de S. Cucufate

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

Bonecos de São Bento do Cortiço

Profs_cultura_estatuto1_banner22

cultura_estatuto_profissionais22

Miróbriga

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

 

Castelo de Viana do Alentejo

Templo romano de Évora

Estamos ON | Site culturacovid19

Évoramonte

Castelo de Belver

Sé de Évora

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Castelo de Santiago do Cacém

Sé de Évora

A decorrer
Imprimir documento


Jorge Colaço e a Azulejaria Figurativa do seu Tempo é o nome da exposição de obras de Jorge Rey Colaço, figura marcante no panorama artístico português nas primeiras quatro décadas do século XX, que se encontra pantente na Galeria da Casa de Burgos, em Évora, e no Paço Ducal de Vila Viçosa, até dia 22 de abril de 2022.

A iniciativa, que pretende dar a conhecer, a um público alargado, a existência de um importante conjunto de obras do artista e de espólio documental, contemplará também a apresentação de um roteiro com as obras conhecidas do artista no Alentejo, bem como algumas conferências a divulgar em breve.

A exposição é organizada pela Direção Regional de Cultura do Alentejo, Museu-Biblioteca Fundação Casa de Bragança e Direção-Geral do Património Cultural - Museu Nacional do Azulejo.

 

Dados Biográficos de Jorge Colaço (26/02/1868 - 23/08/1942)

Nasceu em Tânger, filho de José Daniel Raimundo Colaço e Macnamara, 1.º Barão de Colaço Macnamara, vice-cônsul de Portugal em Marrocos, e de Virgínia Maria Clara Vitória Raimunda Rey Colaço .  
Estuda arte em Madrid e em Paris, onde frequentou ateliers de artistas de renome.
Foi um exímio caricaturista, pintor a óleo, dirigiu revistas e jornais, foi fundador da Sociedade Nacional de Belas Artes  e a partir de 1903 inicia a pintura em azulejo, ligado à Fábrica de Sacavém, onde permanece até 1923,  data em que passou para a Fábrica Lusitânia em Lisboa. A partir de 1930 inicia o revestimento cerâmicas de várias estações ferroviárias e realiza várias encomendas para o Estado e para autarquias.

 

Como Jorge Colaço refere, num texto de 1933 na revista Cerâmica e Edificação, diz pintar azulejos porque «(...) existem influências atávicas da terra de moiros onde nasci (...) » e que a azulejaria embora sendo uma arte importada, soube ganhar foros de arte nacional (Santa Rita, 2021, p.197).

 

 Principais obras de Jorge Colaço:     

A sua obra tinha como lema de base "Portugal", todavia as temáticas que desenvolveu foram diversificadas: desde cenas históricas, a cenas de carácter militar, histórico, cenas etnográficas (rurais e piscatórias), entre outras. Na maioria das vezes fruto da sua imaginação, ou inspiradas em episódios da literatura camoniana e de outros escritores e artistas (Cláudia Emanuel, 2021).  

Realizou mais de 1000 painéis de azulejos em Portugal continental e insular, bem como para outros países como Espanha, Inglaterra, Suiça, Brasil, Argentina, Cuba ou Goa.

Destacamos:

Palácio Hotel do Buçaco (1907)

Casa do Alentejo - Lisboa (c. 1918)

Estação de São Bento - Porto (

Casa Ramos Pinto - Gaia (1922)

Palácio da Herdade de Rio Frio

Igreja dos Congregados - Porto (1929)

Palácio da Bemposta (Academia Militar) - Lisboa (c.1930)

Aquário Vasco da Gama - Lisboa (1931)

Igreja de Santo Ildefonso - Porto (1932)

Palácio da Justiça de Coimbra (1933)

Diversas Estações Ferroviárias (a partir de 1930) - Vila Franca de Xira, Lousã, Beirã Marvão, Abrunhosa, Évora, Beja...

Diversos Mercados Municipais - Mercado da Fruta do Cais do Sodré - Lisboa, Mercado Municipal de Almodôvar  


Jorge Colaço e o Alentejo:


O conhecimento dos trabalhos de Jorge Colaço no Alentejo é limitado; os mais conhecido são os painéis realizados para algumas estações ferroviárias do Alentejo. Mas Jorge colaço realizou outros trabalhos para esta região podendo-se assinalar, entre outros, o painel realizado para o Palácio das Passagens - Escola Prática de Artilharia de Vendas Novas, para o Mercado Municipal de Almodôvar ou ainda para a Capela do Recolhimento Ramalho Barahona (Évora)  

 
Pretende-se com a realização desta exposição, que outras obras venham a ser conhecidas e passem a integrar o inventário de obras de Jorge Colaço no Alentejo.  

 

 


< Voltar

ADECORRER

Estatuto dos Profissionais da Área da CulturaANTROPOCÉNICA - Propostas para apresentação de comunicaçõesJorge Colaço e a Azulejaria Figurativa do seu TempoApoio à Atividade Cultural e aos Agentes Culturais do Alentejo 2021Estamos ON | Site culturacovid19



EMAGENDA

<janeiro de 2022>
domsegterquaquisexsáb
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se