ESTÁ AQUI: INÍCIO | Destaques
| MAPA DO SITE | EMAIL | PROCURAR
SECRETÁRIO DE ESTADO DA CULTURA
Voltar à pagina de entrada!

Castelo de Viana do Alentejo

Sé de Évora

Templo romano de Évora

Villa Romana de S. Cucufate

Miróbriga

Castelo da Amieira do Tejo

Castelo de Santiago do Cacém

Castelo de Viana do Alentejo

Villa Romana de Torre de Palma

Grupo Cubenses Amigos do Cante

Castelo de Arraiolos

Castelo de Evoramonte

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Castelo e Igreja do Salvador (Arraiolos)

Sé de Évora

 

Villa Romana de S. Cucufate

Brincas de Évora

Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa

Abóbada da Basílica Real de Castro Verde

Sé de Évora

Estatuto dos Profissionais da Área da Cultura

Centro Interpretativo do Castro da Cola (Ourique)

cultura_estatuto_profissionais22

Gruta do escoural

Castelo de Belver

Profs_cultura_estatuto1_banner22

Bonecos de São Bento do Cortiço

Viola Campaniça

Castelo e Igreja Matriz de Viana do Alentejo

Miróbriga

cavalo pintado

Castelo da Amieira do Tejo

Évoramonte

Villa Romana de Torre de Palma

Castro da Cola (Ourique)

Jangada de São Torpes

Destaques
Imprimir documento


De uma 'coutada para porcos monteses' à monocultura superintensiva
13/05/2022
De uma

De uma 'coutada para porcos monteses' à monocultura superintensiva: para uma história das pessoas e da paisagem do Alentejo é o tema da conferência que será proferida por Maria Antónia Pires de Almeida (investigadora integrada do CIES, ISCTE, Instituto Universitário de Lisboa), dia 19 de maio, às 21h30, no Auditório da EDIA, em Beja, com entrada livre.


A iniciativa, insere-se no ciclo de conferências Terra e Paisagens no Sul, organizado pelo Município de Beja, EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva, S.A e Direção Regional de Cultura do Alentejo, com o apoio da Associação de Defesa do Património de Beja e da Universidade Sénior de Beja.


A conferência será também transmitida em direto pelo canal do Youtube da empresa EDIA, SA, AQUI.

 

RESUMO DA CONFERÊNCIA
Há séculos que as obras de hidráulica agrícola são apresentadas como a solução para todos os problemas do interior de Portugal. As Leis das Sesmarias já revelavam que a  autossuficiência alimentar era um objetivo a alcançar, fixando as pessoas à terra e obrigando ao seu cultivo, assim combatendo o despovoamento. A obra de Severim de Faria (1655) é um dos primeiros exemplos de um diagnóstico das
dificuldades da agricultura, sobretudo a alentejana, que, por falta de gente e de capitais era deficitária na
produção de trigo. Numa região de culturas de sequeiro, onde o montado era predominante, o Alentejo como "celeiro de Portugal algum dia" foi apresentado por Soares de Barros em 1789 e retomado no início do século XX por Salazar. O autoabastecimento alimentar foi um objetivo do Estado Novo, que colocou em
prática uma política agrícola baseada em Campanhas do Trigo, Colonização Interna, hidráulica agrícola com a construção de barragens, e florestação. Com a transição para a Democracia, o Alentejo foi palco de uma Reforma Agrária e do seu reverso, e posteriormente da inserção da sua agricultura na Política Agrícola Comum. Analisa-se aqui a estrutura social da região e a sua evolução demográfica perante estas políticas, assim como as alterações na paisagem e nos sistemas de produção.

NOTA BIOGRÁFICA
Investigadora integrada do CIES, ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. Diretora do projeto "Poder local em Portugal: responsabilidade social e política sobre o desenvolvimento sustentável de territórios desiguais", 2018-2024. Professora auxiliar convidada do ISCTE-IUL. Doutorada em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE-IUL, com dissertação sobre a Reforma Agrária Portuguesa. Dois pós
doutoramentos em Ciência Política sob o tema do Poder Local. Investigadora convidada em projetos
internacionais. Publiquei 35 artigos em revistas internacionais com arbitragem científica, entre as quais Public Understanding of Science, Rural History, História, Ciências, Saúde - Manguinhos, Portuguese Journal of Social Science, European Societies, Análise Social, AGER, Continuity and Change, Revista de Sociologia e Política, Sociologia Problemas e Práticas e Revista Galega de Economia.
Autora de livros, capítulos de livros, 8 bases de dados, entradas de dicionários e publicações eletrónicas sobre transições políticas, história rural, história do trabalho, história da medicina e da saúde pública, epidemias, biografias.

 

 

[ voltar ]

 

 

ADECORRER

DRCAlentejo assinala centenário do nascimento de Artur Pastor com exposição Estatuto dos Profissionais da Área da CulturaANTROPOCÉNICA - Propostas para apresentação de comunicações"Covid@Alentejo, olhares" - Exposição itinerante



EMAGENDA

<maio de 2022>
domsegterquaquisexsáb
24
25
26
27
28
29
30
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
 


SUBSCREVANEWSLETTER

Quer receber as nossas notícias?
Registe-se